"Veja aqui as fotos"

 

BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS DE VIDAGO COMEMORAM 51 ANOS DE EXISTÊNCIA AO SERVIÇO DA COMUNIDADE

A Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Vidago assinalou no passado dia 8 de dezembro o seu 51º aniversário. As comemorações tiveram início ás 08h30 com a tradicional alvorada ás 09h00 foram hasteadas as bandeiras por elementos dos Órgãos Sociais da Associação. Seguidamente efetuou-se a romagem ao cemitério e perante a formatura, foram homenageados os bombeiros e sócios falecidos, com toque de sirene, e a deposição de uma coroa de flores na pedra de repouso do cemitério.

 

Após esta cerimónia, seguiu-se a deposição de uma coroa de flores no Monumento do Bombeiro, no Largo General de Carvalho.

Por volta das 10H00, já de regresso ao Quartel-Sede, teve lugar a receção às entidades convidadas civis e militares que muito mos honraram com a sua presença e a imposição de condecorações e promoções de elementos do corpo ativo. Foram promovidos ao posto de bombeiros de 3ª Classe os estagiários:

 Francisco Simão Lopes Gomes; Jéssica Simões Condez; Bárbara Cunha Sarmento;

 Nelson dos Santos Mota; Diogo Filipe Taveira Ferreira;

 

Foram ainda condecorados os seguintes elementos do Corpo Ativo

 

Medalha de Assiduidade – Grau Prata – 10 Anos

 Ricardo Manuel Salgado Patuleia

 

Medalha de Assiduidade – Grau Ouro – 15 Anos

Maria Clara Carvalho Alves Leitão, Carlos de Jesus Aguiar Leitão, Maria do Céu Modesto Bastos Gonçalves, Faustino Ferreira César, Joana Patrícia Ferreira David, Carla Cristina Monteiro dos Santos

 

 Medalha de Assiduidade – Grau Ouro – 20 Anos

José Francisco de Resende Carreiro, Liliana Marisa Pinto Teixeira

 

Seguidamente teve inicio a Sessão solene no salão nobre do quartel, da mesa de honra fizeram parte o Presidente da Camara Municipal de Chaves Dr. Nuno Vaz que presidiu à sessão o presidente da Assembleia Geral dos Bombeiros Voluntários de Vidago Augusto Carvalho, a Drª Rafaela Vilela em representação da Liga dos Bombeiros Portugueses, o Comandante Distrital de Operações de Socorro, Engº Álvaro Ribeiro, o Presidente do Bombeiros de Vidago Francisco Oliveira, o Presidente  Conselho Fiscal Sr. Horácio Ferreira e o Cmdt dos Bombeiros de Vidago Bruno Henriques.

 

Francisco Oliveira, após cumprimentar todas as entidades civis e militares, começou por referir que ajudar o próximo, sem nada receber em troca é certamente é um ato de amor e solidariedade para com o seu semelhante, que todas as pessoas deveriam adotar, pois ajudar não dói, nem magoa, muito menos fere, ao contrário, apenas engrandece os seres humanos que praticam tais atos, dar sem nada receberem em troca, daí o nosso agradecimento e reconhecimento pela generosidade dos nossos Conterrâneos Inácio José Costa e Silva e Jorge Miguel Pires Serralheiro que hoje, vão apadrinhar duas das novas viaturas. A terceira será apadrinhada pelo Sr Presidente do Município de Chaves

Os bombeiros Portugueses vivem o momento mais difícil da sua história com mais de 600 anos. No passado dia 24 de Novembro no Terreiro do Paço em Lisboa foi a primeira vez que os bombeiros se manifestaram para exigirem ser tratados com respeito. Cumpridas as decisões tomadas no Conselho Nacional da LBP realizado em Bragança em 10 de Novembro último, após a concentração nacional que decorreu no Terreiro do Paço, em Lisboa, em 24 de Novembro e, na sequência das propostas avançadas no Conselho das Federações da LBP ocorrido em Pombal em 30 de Novembro, os Bombeiros Portugueses entendem dar continuidade à análise e tomada de posições justificadas pela forma como têm sido desrespeitados e ofendidos pelo Governo de Portugal.

Em síntese, entre outros aspetos, estão em causa três reivindicações principais dos bombeiros não contemplados devidamente pelo Governo, a saber: uma Direção Nacional de Bombeiros Autónoma Independente e com Orçamento Próprio, um Comando Autónomo de Bombeiros e o Cartão Social do Bombeiro. Os Bombeiros Portugueses não são nem nunca foram contra as reformas. O que pretendem é que, a ser levadas a efeito as reformas, sejam justas e eficazes na defesa das vidas e dos haveres das populações, logo, respeitem as justas aspirações dos bombeiros enquanto principal agente da proteção civil em Portugal.

Dirigindo-se especificamente ao Presidente do Município de Chaves, Francisco Oliveira referiu. Sr. Presidente. Sabemos que tomou posse do cargo há pouco mais de um ano. Vamos por isso continuar a insistir nas nossas necessidades . A substituição do telhado do quartel que é em fibrocimento e contém amianto que é proibido por lei e já mete água por todo o lado por tal motivo é urgente a sua substituição

Quanto aos VFCI, (Veiculo Florestal de Combate a Incêndios) com quase trinta anos, lá vai continuar a arrastar-se enquanto puder, cada vez que sai têm que vir para a oficina. Esperamos que com a transferência de competências do Governo para as autarquias locais a partir do próximo ano, possamos ver finalmente solucionados os nossos problemas

 

O Comandante dos Voluntários de Vidago Bruno Henriques começou cumprimentado e agradecendo a presença de todos. Os aniversários, como sabemos, são datas de excelência para comemorar os méritos, feitos e a história do percurso e da vida de pessoas e instituições. Sabemos todos, e a nossa história é testemunho disso, sobejam motivos para festejar e estarmos todos orgulhosos. Assim, enquanto comandante, a primeira palavra do dia de hoje vai, necessariamente, para todos aqueles que ao longo da história fizeram desta casa uma referência:

Nunca poderemos sonhar ou pensar o futuro sem nos lembrarmos do nosso passado, daqueles que de forma hercúlea tornaram possível o sonho de ter um corpo de  bombeiros na nossa terra, e digo nossa terra porque vindo de fora fui aqui muito bem recebido e acolhido e penso que posso já ter o atrevimento de chamar esta terra como minha.

Sr. Presidente Francisco Oliveira: aproveito mais este momento para agradecer publicamente a confiança que depositou em mim e por me dar o privilégio de comandar o corpo de bombeiros de Vidago. Sabemos que, como em tudo, nem todos os dias são fáceis e que temos já muitas horas de discussão e conversa. Nessas horas, pela sinceridade e frontalidade que já me reconhecem, nem sempre estamos de acordo e as posições são muitas vezes diferentes. No entanto, devo destacar, anima-me sempre saber que, por parte desta direção e do comando, todas as discussões são o manifestar de pontos de vista, às vezes diferentes, mas com o objetivo comum de servir os bombeiros de Vidago e a nossa população.

Alem disto, e enquanto comandante, não posso deixar passar em vão esta oportunidade que me é dada de usar da palavra sem vos dirigir algumas palavras sobre “o estado de arte”, ou seja, sobre o momento difícil que os bombeiros de Portugal atravessam.

Como sabem, em mais de 600 anos de história, os bombeiros de Portugal viram-se obrigados a fazer uma manifestação para reclamar os seus direitos. E, pela primeira vez em 600 anos, saímos á rua para de uma forma digna e organizada dizer: basta… basta de brincar com os bombeiros de Portugal. Não estamos contra ninguém, não somos poder nem contrapoder, não alimentamos lutas políticas, mas temos a obrigação de exigir daqueles que nos governam o respeito que os homens e mulheres que voluntariamente servem os portugueses têm de ter. Toda a gente ouve na praça que os Bombeiros são o principal agente de proteção civil… toda a gente ouve, em palavras bonitas e circunstanciais, que os bombeiros são a espinha dorsal do sistema de proteção civil em Portugal. Mas, como de boas intenções está o inferno cheio, não nos chegam palavras de boas intenções sem que depois as ações e medidas não correspondam a isso. Assumimos mais de 90 por cento de todo o socorro em Portugal; somos a forca com maior capacidade de mobilização de homens e com maior presença nos teatros de operações e, depois vemos o investimento ser feito em todos os agentes com um desprezo revoltante para com os bombeiros.

Assim, o que pretendemos e aquilo porque lutamos, não é mais do que um conjunto de medidas de apoio ao voluntariado, com cartão social de bombeiro, que permita aos homens que vestem esta farda terem alguma recompensa pelo muito que dão ao seu país e, por outro lado, permita aos jovens verem nos bombeiros um caminho e carreira de futuro que vale a pena abraçar. A malfadada reforma da proteção civil não só discrimina negativamente os bombeiros de Portugal como nos levanta muitas dúvidas sobre o futuro. Os bombeiros de Portugal são imprescindíveis e insubstituíveis e, estou certo, as populações que servimos reconhecem o nosso trabalho e estarão ao nosso lado nesta luta. No entanto, porque é um compromisso unanime entre todos os bombeiros, garanto que em primeiro lugar estarão sempre as populações que servimos e o socorro que nunca iremos abandonar.

Como não poderia deixar de ser, endereço uma palavra sentida e sincera ao corpo de bombeiros de Vidago que me orgulho de comandar. A todos os bombeiros, sem exceção, quero publicamente reconhecer a vossa entrega, altruísmo, abnegação e espírito de corpo patente em todos os momentos.  Sei que a missão não é fácil, sei e reconheço que a exigência é todos os dias maior, mas também sei pelas provas que já foram dadas que, este corpo de bombeiros está ao nível da exigência e do melhor que se faz neste país. Ao longo dos tempos, a aposta na formação e instrução tem permitido responder cabalmente às exigências que todos os dias nos são postas.

Seria injusto da minha parte se, de igual modo, não reconhecesse aqui o meu segundo comandante e adjunto de comado que tão bem me auxiliam nesta difícil missão que é liderar. Obrigado aos dois pela entrega, mas sobretudo pela lealdade a que estas funções obrigam…

Estou certo das escolhas e do caminho que em conjunto vamos trilhar. Assim, termino, com agradecimento enquanto comandante, mas sobretudo enquanto homem: obrigado pela confiança que depositam em mim, obrigado por me aturarem, obrigado por acreditarem em mim, mas sobretudo o obrigado mais sincero por permitirem caminhar ao vosso lado e testemunhar a vossa força, exemplo e capacidade operacional.

Se é verdade que sou um comandante orgulhoso pelos homens que comando não é menos verdade que sou um homem melhor por vos acompanhar e que todos os dias aprendo com vocês. Espero continuar a ser merecedor da vossa confiança. Estou certo que unidos iremos honrar o legado do passado, garantir a segurança das nossas populações no presente e sonhar em construir um futuro que nos dignifique a todos. Vivam os Bombeiros de Vidago, vivam os Bombeiros de Portugal.

 

Seguidamente usaram da palavra o CODIS de Vila Real Engº. Álvaro Ribeiro A Drª Rafaela Vilela em representação da Liga dos Bombeiros Portugueses, tendo encerrado este núcleo de Intervenções o Presidente da Camara Municipal de Chaves Dr. Nuno Vaz

 

Todos saudaram a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Vidago pelo 51º aniversário e enalteceram o trabalho de todos os bombeiros e dirigentes que mantêm esta Associação e Corpo de Bombeiros ao longo de mais de meio século de existência. Reconhecendo a importância do trabalho daqueles que, de uma forma ou de outra, se destacaram, quer pelos cargos que ocuparam e ou ainda ocupam, pelo dinamismo que emprestaram a esta Associação de bombeiros.

 

As comemorações do 50º Aniversário dos Bombeiros de Vidago, prosseguiram com a habitual Missa Solene na Igreja Matriz, por sufrágio dos Bombeiros, dirigentes, sócios e todos aqueles que de contribuíram, para esta nobre causa.

 

No final do ato religioso, procedeu-se á bênção de Três novas viaturas Um VALE (Veiculo de Apoio Logístico Especial) apadrinhado pelo Município de Chaves, Uma VDTD ( Viatura Dedicada de Transporte de Doentes) apadrinhada pelo Sr. Inácio José Costa e Silva e um novo VCOT (Viatura de Comando  Tático) apadrinhado pelo Sr. Jorge Miguel Pires Serralheiro.

 

A festa dos 51 anos dos Bombeiros de Vidago só viria a terminar no Auditório do Vidago Palace Hotel com o evento solidário em favor dos Voluntários de Vidago, que contou com a presença de vários artistas que graciosamente deram o seu melhor para que este espetáculo fosse na verdade um verdadeiro êxito.

O Presidente Francisco Oliveira, nome da direção que preside agradeceu a  de todos os presentes, no espetáculo, a todos os artistas que nele graciosamente participaram, ao mentor do mesmo o Vidaguense Paulo Santos e á jornalista da Sinal TV Carolina Taborda Lopes que foi a apresentadora de serviço.

 

 

Augusto Oliveira - Bombeiro de 1ª Classe no Quadro de Honra

Fotos: Alberto Barreira

 

 

 

 

Política de Privacidade

Todos os Direitos Reservados para os Bombeiros Voluntários de Vidago, AVª Conde de Caria, 2 - 5425-307 Vidago